Enquanto o desemprego predomina em várias áreas da economia, existem vagas sobrando no setor de Tecnologia. Segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego a demanda por profissionais de TI tende a chegar a 100 mil ao ano, em todo o Brasil. O grande problema, dizem os especialistas, é a falta de qualificação dos profissionais para ocupar os cargos existentes. E não se trata só de Brasil. No Reino Unido, o déficit de profissionais especializados que era de 4,2% em 2007 passou para 6,8% em 2008.

Com a diversidade tecnológica, a necessidade de mão-de-obra qualificada é fator fundamental para o sucesso dos projetos de TI. Na prática, isto significa que a especialização em áreas ligadas à informática aumenta, e muito, as chances de se conseguir uma boa colocação na carreira.

Para garantir espaço no mercado de TI, hoje o profissional precisa ser completo. Além do "informatiquês", é fundamental que o profissional também tenha uma noção global de negócios. Nos últimos anos, a evolução da Tecnologia da Informação para a competitividade da economia, obrigou o profissional se tornar especialista não somente em TI, mas ele deve entender também do negócio do cliente para poder prestar um melhor atendimento.

Em qualquer parte do mundo, a TI hoje é vista como a base do crescimento comercial das empresas, da competitividade de mercado. No ponto em que estamos, entender as regras de negócio são tão importantes como entender as linhas de códigos da tecnologia.

Se o objetivo é ocupar as oportunidades de trabalho, além de softwares e programação, hoje, fazem parte das competências desse novo profissional habilidades como inovação, liderança, criatividade, trabalho em equipe e comunicação. Vencerão aqueles profissionais mais hábeis, mais versáteis, mais adaptáveis e com uma gama de conhecimento geral e técnico, capaz de suprir as estratégias de inovação de cada organização.

Como alternativa para melhorar a qualificação profissional, as empresas têm investido cada vez mais em cursos e treinamentos para reter seus talentos humanos. A experiência e a senioridade contam muito, pois bagagem profissional é tudo.

Na New Age esta é uma das premissas para a valorização dos talentos técnico e humanos da empresa, que hoje dispõe de mais de 100 profissionais com amplo conhecimento tecnológico, os quais trabalham com competência técnica e foco no cliente. Estamos investindo fortemente no treinamento de nossas equipes e no aperfeiçoamento de nossos técnicos na gestão de negócios.




Via Htmlstaff
Fonte: Imasters

1 comentários

Bella... disse... @ 16 de maio de 2008 18:35

Foi-se o tempo em que os profissionais eram limitados ao seu "mundinho". Hojé é preciso ter um diferencial. Isso em qualquer rpofissão.

Postar um comentário